UK Events

British Cemetery Elvas

Acessibilidade
aa
aa
Cemitério dos Ingleses em Elvas

general Sir Rowland Hill

O General Rowland Hill, 1° Visconde Hill de Almaraz, nasceu em 11 de Agosto de 1722, segundo filho de Sir John Hill e Mary Chambre. Hill estudou as técnicas de guerra em Estrasburgo e recebeu uma comissão para ingressar no “38th Foot” em 1790.

Havia três meios para obter uma comissão: 

  • Um deles era comprar a comissão, o que Sir John fez para o seu filho.
  • Fazer-se recrutar para um posto e receber em troca uma comissão.
  • Promoção por brevet era outro meio para alcançar um posto superior.

Hill serviu no cerco de Toulon e também no Egipto, Irlanda e Hanover. Em 1805, passou a ser major-general. Em 1808, Hill partiu para Portugal onde iniciou a sua longa e distinta carreira na Península. Era tenente -general e vice-comandante nas últimas etapas da Guerra Peninsular.  Com a alcunha de “Daddy Hill”, grangeava de um modo geral grande estima entre os soldados. Consta que só praguejou em duas ocasiões.

Hill era conhecido pela sua generosidade pessoal para com os seus oficiais e soldados. Numa ocasião, ele acolheu um oficial ferido que chegara ao seu quartel-general oferecendo-lhe uma cesta de almoço. Noutra ocasião, um sargento entregou uma carta a Hill. Não esperando mais do que um mero aceno de agradecimento, o homem ficou espantado quando o general mandou que lhe fosse dada uma ceia e um lugar para ele passar a noite. No dia seguinte, Hill deu-lhe comida e um dólar para o resto da viagem.

The Peninsula

Hill comandou uma brigada na Batalha do Vimeiro em 1808, mas a sua unidade não chegou a combater. Comandou uma brigada na Batalha da Corunha durante a campanha em Espanha de 1808-1809 de Sir John Moore.

Enquanto servia sob o comando de Wellington na Segunda Batalha do Porto, unidades do seu corpo militar lançaram um assalto improvisado através do Rio Douro que acabou por correr do Porto com os corpos franceses do Marechal Soult.

Hill comandou a 2a. Divisão de Infantaria na Batalha dse Talavera, em Julho de 1809.Na noite anterior à batalha, o Marechal Claude Victor montou um ataque surpresa, varrendo para os lados dois batalhões da Legião Alemã do Rei e apoderando-se de um ponto elevado de importância chave. Hill contaria mais tarde, “Tinha a certeza que era o velho Buffs, como sempre, a fazer uma parvoíce qualquer”. Em todo o caso, ele dirigiu o avanço de uma brigada de reserva em plena escuridão. No curto confronto que se seguiu, Hill foi brevemente agarrado e quase capturado por um francês, mas as suas tropas recuperaram o Cerro de Medellin. Esta foi a primeira ocasião em que Hill terá praguejado.

Hill combateu na Batalha do Buçaco, tendo às suas ordens a 2a. Divisão, durante a invasão de Portugal pelo Marechal Massena em 1810. Quando Massena retirou para Santarém, Wellington destacou o corpo militar de Hill (2a. Divisão e a Divisão Portuguesa de Hamilton) para a margem sul do Tejo. Em 29 de Novembro, o General Hill ficou incapacitado com um grave ataque de febre e voltou a Inglaterra para recuperar. 

Aquando do seu regresso, de acordo com Oman, “ Todos, desde Wellington ao mais simples soldado, ficaram muito contentes em saber que Rowland Hill tinha desembarcado em Lisboa em 24 de Maio de 1811 e que estava prestes a retomar o comando da 2a. Divisão. Foi imediatamente colocado na mesma posição que detivera em 1810, isto é, tendo-lhe sido confiado o comando não apenas da sua própria divisão, mas de todo o flanco do exército que fora destacado para o sul. 

As suas tropas ficaram exaustas após a Batalha de Albuera e serviram como força de cobertura durante o segundo cerco de Badajós. Hill permaneceu em comando independente de um corpo de 16.000 homens mantendo o olho sobre Badajós enquanto Wellington deslocava o resto do seu exército para norte.

Em 28 de Outubro de 1811, Hill derrotou uma força francesa comandada pelo General Jean-Baptiste Girard na Batalha de Arroyo dos Molinos, a norte de Mérida, tendo forçado a demissão de Girard por parte de Napoleão.

Em Maio de 1812, após a tomada de Badajós, Hill comandou um raid audacioso que destruiu a ponte sobre o rio Tejo, na Batalha de Almaraz. Enquanto Wellington combatia na Batalha de Salamanca, em Julho de 1812, Hill continuou a proteger o flanco a sul, com base em Badajós, tendo sob o seu comando um corpo de 18.000 homens, incluindo a 2a. Divisão britânica, a Divisão portuguesa de John Hamilton e a 2a. Divisão de Cavalaria de William Erskine. 

Depois da captura de Madrid, Hill passou a ter responsabilidade por 31.000 tropas anglo-portuguesas e 12.000 tropas espanholas. Quando os franceses concentraram forças superiores contra os britânicos no Outono de 1812, Hill trouxe a salvo o seu exército a partir de Madrid para se juntar ao exército principal sob o comando de Wellington perto de Alba de Tormes. 

Hill comandou a Quinta Coluna durante a campanha na vitória britânica decisiva na Batalha de Vitória em 21 de Junho de 1813. Ainda em comando do corpo militar, combateu na Batalha dos Pirinéus. Em Vitória e na invasão de Wellington ao sul de França, o corpo de Hill consistia na 2a. Divisão de William Stewart, na Divisão portuguesa (sob o comando de John Hamilton, Francisco Silveira ou Carlos Le Cor) e na Divisão espanhola de Pablo Morillo. Hill comandou o “Right Corps” na Batalha de Nivelle em 10 de Novembro. 

Em 13 de Dezembro de 1813, durante a Batalha do Nive, Hill desempenhou o que terá sido o seu papel mais exímio na defesa de St-Pierre d'Irube. Com os seus 14.000 homens e 10 peças de artilharia isolados na margem leste do Nive devido a uma ponte quebrada, Hill repeliu os ataques dos 30.000 soldados e 22 canhões do Marechal Soult. Ele combateu na batalha com grande destreza e “foi avistado em todos os locais de perigo, tendo por repetidas vezes conduzido em pessoa agrupamentos de regimentos para salvar o que parecia uma batalha perdida...Até o ouviram praguejar”. Posteriormente, combateu em Orthez e Toulouse. Wellington disse, “O melhor de Hill é que eu sei sempre onde o encontrar.”

Batalha de Waterloo

Na Batalha de Waterloo, Hill comandou o 2° Corpo. Ele conduziu a famosa carga da brigada de Sir Frederick Adam contra a Guarda Imperial já para o final da batalha. Durante algum tempo, pensou-se que tinha caído no meio da refrega. Todavia, ele escapou sem ferimentos e continuou com o exército em França até à retirada deste em 1818.

Em 27 de Agosto de 1815, o Rei holandês Guilherme 1° fê-lo Comandante da exclusiva Ordem Militar de William. Ele sucedeu ao Duque de Wellington como Comandante-em-Chefe das Forças em 1828 e serviu nessa qualidade até 1839.
O General Rowland Hill faleceu em Hardwicke Grange em 10 de Dezembro de 1842.

 

A situação de Hill é muito agradável. Foi-lhe dada a oportunidade de actuar em onze situações diferentes.

Lord Seaton.